quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Vitrine

Poema: SP. 16/05/07



Superficial é você!
Incapacitado de ver
O intimo belo
Através do figurado singelo

Achou o que não era
E o que sou a ti revela
Os seus valores distorcidos 

Sou o que te agrada
Mas não tenho o essencial
Tenho o que é feio
Aos teus olhos claros

Mas o seu maravilhoso
Não me pertence
Sou autenticidade assumida
Peculiaridade ferida

Ou me amam ou me odeiam
Não sorrio pra agradar
Nem choro sem vontade

Sou teu enquanto vitrine
For o seu externo
E ausente quando
Suas pálpebras se fecharem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deem sua opinião, grato!