segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

prorrogadas inscrições da mostra são paulo exposamba.




As inscrições para a primeira edição da São Paulo Exposamba foram prorrogadas até o dia 6 janeiro. Agora, todos os compositores do país têm até 6 de janeiro para concorrer a prêmios que totalizam R$ 240 mil. A ampliação do prazo procura atender a pedidos de compositores de todas regiões do país, que, devido às festividades de fim de ano, não têm conseguido gravar vídeos com suas músicas.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Samba selecionado.

Olá Walter,

Parabéns! O seu samba foi um dos 1.000 primeiros que recebemos na competição  São Paulo Exposamba e você foi pré-selecionado para se apresentar na próxima etapa da competição.

Em breve, publicaremos as informações sobre dia e local da sua apresentação no sitehttp://g1.globo.com/mostra-sao-paulo-exposamba/ . Fique ligado!


segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Escolhas

Letra: SP. 09/04/07




Vamos estudar para melhorar
Nossa situação de cidadão
Vamos fugir desse Pequeri
Sonhar não faz mal
O que faz mal é só sonhar.

Vamos seguir a canção 
De pés no chão
Um passo de cada vez...
A pressa não contribui!
Deixa a obra acabar...
Quando o palco ascender
Ai podemos brilhar.

O nosso amanhã
Vai depender do passado
E o nosso futuro
São as escolhas de hoje,
Reflita melhor a sua opção
Para não enfrentar provações
Desnecessárias no seu caminhar.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Lacuna inpreenchivel

Pensamento: SP. 13/02/11




Quando minha namorada...
Ou melhor minha noiva...
Quem sabe até minha esposa.
Ficou gravida do meu quarto filho;
Que pode ser o mesmo...
Que não veio com a Heliane
Que não veio com a Kelli
Nem anteriormente com a roberta
Minha mãe me disse:
- Você terá que ser
O pai que você nunca teve!
Nunca tive mesmo!
Nem em documentos.
Meu filho não terá essa lacuna impreenchivel .
Jesus viveu na terra 33 anos longe do pai,
Mas ele é Jesus que suportou a cruz...
E venceu o mundo.
Também estou a 33 anos longe do meu!
E ainda estou aqui.
Meu filho não sera
Uma criança sem referencias...
Seja na vida, ou no documento
Que por sinal até hoje 13//12/11
Ás 3:26 ainda esta vazio.
Referencias... se para o bem seguir
Se para o mau ignorar,
Esse é o maior tesouro de um filho
Ter um farol a frente para se guiar.
Esse é o maior tesouro...
Ter parâmetros na vida.
Se eu for a metade do pai
Que minha mãe foi pra mim
Meu filho será um privilegiado.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Enigma da cerveja




Quero que você veja
O enigma da cerveja
É ruim, gelada,
Fermentada na cevada,
Gaseificada e amarga
Mas tem gente que não larga

A cerveja as vezes causa briga
Nem assim agente liga

Ela tira o reflexo
Deixa os passos desconexos
Nos tira a razão e o nexo
As vezes prejudica o sexo

O álcool arrebenta o figado
Da ressaca  e cirrose
Porque você bebe?
Porque eu bebo?
Sera que é vicio?
Não entendo o suplicio
Só sei que é ruim
Mas é bom...


quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Flerte ao meu amado

Pensamento: SP. 06/12/11




Já faz muito tempo que não o vejo,
Há um ano que não o encontro,Não o toco.
Sinto sua falta a abstinencia dele é profunda.
Nossa intimidade é antiga e completa,
Adoro o seu gosto salgado;
E sua pele macia de grãos esfoliados.
Me fascinam o seu perfume,
É suave como uma brisa fresca.
Quando penetro na sua imensidão molhada
É um estase inesplicável...
Sou completamente apaixonado por ele.
Eu o respeito e ele me respeita,
Quando se ultrapassa o limites
O fim é certo.
Ele é promiscuo, quem quiser ama lo,
Toca lo, penetra lo, ele não se nega.
Se eu pudesse te lo só pra mim!
Mas isso é o maior egoismo do mundo.
Deus abençoou a nossa paixão,
Não tenho vergonha de dizer que o amo:
Ao lado dele, junto dele, sou feliz.
Se algum dia me pedisse em casamento
Não pensaria duas vezes,
Correria para os seus braços.
Acho que vou ama lo eternamente...
Eu falo de alguem magnifico...
Me refiro ao mar...

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

O bichinho da goiaba " DIA INTERNACIONAL DA LUTA CONTRA A AIDS".

Reflexão: SP. 01/12/11




Hoje é o dia mundial da luta contra a Aids
Onde podemos refletir a respeito,
A Aids é uma doença como qualquer outra,
Só tem uma diferença "NÃO TEM CURA!".
Não existe outro jeito gente:
Tem que usar a camisinha! até porque...
Não tem só a Aids existem muitas outras doenças
sexualmente transmissiveis, alem da gravides indesejada.
Já tivemos muitos avanços na luta contra a Aids,
Hoje o soro positivo pode viver normalmente
com o chamado coquetel
Mas os efeitos colaterais não são os melhores
E os olhares alheios não são de amor.
Mas nem tudo esta perdido, pelo menos nessa areá...
O Brasil esta no caminho certo, é um exemplo de luta
e distribuição gratuita de remédios para quem precisa.
Por outro lado é uma pena saber através de noticiários,
Que o aumento da doença nos últimos anos
se concentra nos adolescentes.
Gente a Aids não tem rosto, não tem cor,
poder aquisitivo e nem endereço...
Mas de uma coisa você pode ter certeza:
"ELA MATA!". Pensem nisso antes
de virarem os olhinhos, porque se não...
Só lagrimas rolaram desses olhos.

Arma mortal

Pensamento: SP. 26/01/07


Vamos por em pratica
O dom que Deus nos deu
A maior arma do ser humano
É a pena e o papel
Ferimos tribos, impérios
Países, continentes
E até planetas em outras galaxias
Quando o homem descobrir 
Que a palavra é a arma
Mais mortal!
Ninguém mais fica calado.

Mulher

Poesia: SP. 08/03/07



Todas elas são efémeras
E todas são eternas
Todas são livres
E ao mesmo prisioneiras
São delicadas como uma flor
E autoritárias como um general
Todas elas são cúmplices
E todas são culpadas
Todas amaram, amam ou amarão 
Todas tem o dom
De gerar a vida
Mas são suissidas de si mesmas
Todas tem um destino
E o mesmo fim...
Elas são parte integrante do universo
E o universo sem elas padece
Eu falo da mulher
Que é a razão de tudo
E de todos.

Ego

Pensamento: SP. 02/02/07



Cheguei a conclusão do porque
Sou sempre almejado e desejado
Porque não sou o homem ideal
Nem sou o homem perfeito
Sou um homem real
Sempre deixo uma vontade

Um gostinho de quero mais
Não por querer!
Mas porque sou limitado
Se eu a saciasse 
Chegaria o nosso fim
Pois não haveria mais porque.

Juntos

Poema: SP. 28/05/07


Do improvável
Surgiu o inevitável
Do inimaginavel
Se fez possível
Do inaceitável
Formou se sólido
Do maliavel
Se tornou fixo
Pois você
Não é irreal
E eu surreal
Somos verdade
Estamos juntos hoje
Estaremos juntos
Mesmo depois 
Do apagar das luzes.

Shekespeare




Shakespeare...
Sonetava muito bem
Alfinetava muito bem
E corneteava também
Soneteio também 

Alfineteio também
E corneteio muito bem
Mas não sou Shakespeare!
Sou a lira!
Graças a Deus!

Vitrine

Poema: SP. 16/05/07



Superficial é você!
Incapacitado de ver
O intimo belo
Através do figurado singelo

Achou o que não era
E o que sou a ti revela
Os seus valores distorcidos 

Sou o que te agrada
Mas não tenho o essencial
Tenho o que é feio
Aos teus olhos claros

Mas o seu maravilhoso
Não me pertence
Sou autenticidade assumida
Peculiaridade ferida

Ou me amam ou me odeiam
Não sorrio pra agradar
Nem choro sem vontade

Sou teu enquanto vitrine
For o seu externo
E ausente quando
Suas pálpebras se fecharem.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Chora

Letra: SP. 25/08/06



CLUBE DOS COMPOSITORES DO BRASIL
Registro Definitivo
---- Letra(s) original(ais) (lyrics) ----
Certificamos que Walter Gustavo Passos Evangelista, inscrito(a) sob o cpf 283*****889, registrou no Cadastro do Clube dos Compositores do Brasil, declarando como de sua autoria, arquivada(s) na Pasta de número 23476101d121224h141512, em 24/12/2012, a(s) obra(s) de título(s):

Chora
- Número de Registro 23476101d121224h141512_m1


cujas letras originais seguem abaixo:


Autor: Walter Gustavo Passos Evangelista

Chora

Titulo:Chora
Letra: SP. 25/08/06


Chora que o choro revigora
É a luz da bela aurora
Que anuncia um novo dia
Chora que o choro lava a alma
E o peito se acalma
No remanso de um olhar
Olha essas lagrimas que rolam
Do seu rosto tem o gosto
Na tua boca de paixão
Sem compaixão

Laia... la laia laia laia... la
la laia laia laia... la > Bis
la laia laia laia...

Mas a tristeza é passageira
É o embalo na ladeira
Que leva ao coração
Tolo todo mundo é um pouco
Me perdoe se sou louco
É só olhar no espelho então
Que saberão...
Que todos nos somos iguais
Só muda o tom...
É que o amor também passeia
Na poltrona da ilusão


Laia... la laia laia laia... la
la laia laia laia... la > Bis
la laia laia laia...


OBS: 1)Letras registradas antes de 13/08/2004 não aparecem nesta listagem.
2) Até 18/11/2008, serão exibidas aqui todas as letras contidas em uma mesm Pasta (até 4).
3) A partir de 19/11/2008, as letras serão exibidas individualmente.


Chora que o choro revigora
É a luz da bela aurora
Que anuncia um novo dia
Chora que o choro lava a alma
E o peito se acalma
No remanso de um olhar
Olha essas lagrimas que rolam
Do seu rosto tem o gosto
Na tua boca de paixão
Sem compaixão

Laia... la laia laia laia... la
la laia laia laia... la            ; Bis
la laia laia laia...

Mas a tristeza é passageira
É o embalo na ladeira
Que leva ao coração
Tolo todo mundo é um pouco
Me perdoe se sou louco
Basta olhar no espelho então
Que saberão...
Que todos nos somos iguais
Só muda o tom...
É que o amor também passeia
Na poltrona da ilusão


Laia... la laia laia laia... la
la laia laia laia... la            ; Bis
la laia laia laia...

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Outras bocas

Letra: Sp. 14/07/05- mistura de duas letras inacabadas; Outras bocas e Você sumiu, uma só tinha o refrão e a outra letra sem refrão, num estalo louco juntei as duas e elas se completaram isso é um milagre de inspirações diferentes e de é pocas diferentes que se tornaram uma só.



Eu estou sofrendo por dentro
Esse é o meu alento
Essa foi a minha escolha
Tenho andado meio confuso
Cometi muitos abusos                     > parte da letra: Outras bocas de 14/07/05
Vacilei só dei mancadas
As outras bocas que eu beijei
Minaram minha razão
E eu me atrapalhei

Você sumiu
Nunca mais apareceu
Lembro dos nossos encontros        > refrão da letra: Você sumiu de 23/02/07
Não deu
                                            
Não vou desistir
A paixão esta no ar
Meu sentimento é por ti        
Sou teu.

Recazu

Letra: Sp. 01/05/06



Se a poesia te sensibilizou
Sinta alegria
Se o lirismo te fez emocionar
Foi ao paraíso
Lágrimas vão rolar do seu rosto
Pra te purificar

O poeta não morreu 
Foi ao inferno e voltou
Nem que eu falasse
A língua dos anjos
Sem amor eu nada seria.

Inpressão

Letra: Sp. 24/03/06



Há pudera eu
Ter tanto amor no coração
Eu sou mesmo assim
Meio sem cor no inicio 
Mas o tempo vai passando 
Você vai me conhecendo
Ai já pode estar gostando
Amanhã me amando
No começo eu não agrado mesmo
O tempo vai me revelando
Me purificando aos olhos teus

Hoje eu sou o cara pra você
Romântico, amante
Hoje eu sou o homem pra você
Seguiremos adiante

Se um dia exitou em me amar
Ficou no passado
Hoje você pode ter certeza
Estou ao seu lado.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Brasil

Letra: Sp. 06/06/06


Brasil conheço tuas dificuldades
Conheço as tuas necessidades
Não precisa nem contar,
Mas existe um momento de alegria
Onde todo planeta silencia 
Pra escutar o grito de gol,
E a plateia reverência 
A majestosa seleção do Brasil.

Vai leva meu coração pro estrangeiro
Leva o meu coração brasileiro
Pra sofrer de emoção
Brasil campeão


Vai leva meu coração pro estrangeiro
Leva o meu coração brasileiro
Eternamente o primeiro 
Sempre volta com a taça nas mãos.


terça-feira, 18 de outubro de 2011

PARÓDIA: Canção do exílio: de Gonçalves Dias- por Walter Líra.

Paródia: Sp. 18/08/06



Minha terra tem palmeiras
Onde canta o gavião
Os porcos que la grunhilham
Não gorjeiam como cá.

Nossa camisa tem mais estrelas
Nossas várzeas revelam mais jogadores
Nosso gramado tem mais vida
Nosso escudo mais amores.

Em pensar, sozinho, a noite
Que bom ser corinthiano
Minha terra tem palmeiras
Onde canta o gavião.

Nossa galeria tem mais troféus
Que tais não encontrei eu lá
Em pensar, sozinho, ano noite
Que bom ser corinthiano
Minha terra tem palmeiras
Onde canta o gavião.

Não permita Deus que eu morra
Sem que eu volte a ser campeão
Em cima dos palmeirenses
Quero ver os porcos
Nas garras do gavião.

Perigo silêncioso

Pensamento: Sp. 17/10/11



A bebida é mostrada pela mídia lindamente
Sinonimo de festa, alegria e lindas mulheres
Você já viu comercial de cerveja e catuaba
Com mulheres feias? Eu nunca vi!
Mas por traz desse véu mentiroso
Se esconde um inimigo silencioso
Ele mina suas forças aos poucos...
Lhe tira o respeito,
Te afasta da família,
Derruba o financeiro,
E na maioria das vezes 
Te leva para ambientes carregados
Se você tiver dez virtudes
E um defeito, a bebida evidencia o defeito
E as dez qualidades ficam obscuras.
É muito raro você receber elogios
Mas passe a observar
Para cada elogio pelo menos dez criticas
Ainda bem que os poucos elogios
Vem de pessoas que gostamos e respeitamos
As criticas vem aleatórias.
É claro! que criticas também tem seu lado bom
Nos mostra com o olhar alheio
E nos policiamos e melhoramos,
A bebida tem outro detalhe atrativo
Ela vem com brindes:
Acidentes, cirrose,humilhação e drogas...
Alem das mas conpanias espirituais
Que estão ali sugando os fluidos
Vampiros que fumam e bebem com você.
É pense nisso!
Que seu contato com a bebida 
Seja um momento conciênte
De descontração com os amigos
Uma pausa nas obrigações e na rotina
E não a guilhotina que irá
Arrancar a sua cabeça.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

O amor não morre

Letra: Sp. 07/08//06


Como pode se amar
E desamar tão facilmente
No inicio é tanto amor
Tanta paixão...

Que agente sente
Doer o peito
Agente aprende e desaprende gostar
O amor não finda
Ainda que eu morra
Sem você, com você, por você
O sentimento se integra
Ao universo
Como o vento
Como a chuva
Como o tempo
E o ar

O amor não sofre
Com a morte
O amor não morre
Ele é vida
O seu rosto
O amor só muda o seu gosto
E o momento
Mas permanece existindo.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Separação

Letra: Sp. 08/08/06


Não vou mudar
Eu sou mesmo assim
Compreendo não é fácil
Gostar de mim

Quando eu gosto 
É de verdade
Sem fingimentos
Se não quero mais falo logo

Assim sofremos menos
A separação
Foi tão lindo
Mas não da pra seguir

Assim indeciso 
Eu preciso restaurar
Meus sentimentos.

Que você seja feliz
Encontre alguém
Melhor que eu
Que te faça o que eu não fiz
Te dar um mundo de alegria
Mas sei da importância
Que tive em sua vida
E que Deus nos abençoe adeus.

Cruz da salvação

Letra: Sp. 09/08/06


Se esta aqui
É porque algo aconteceu
Que te entristeceu
Mas não se acanhe
Abra o seu coração

Que as vibrações de amor
Te inundarão
Sei que andou perdido
Por esse mundo afora

Mergulhou nas drogas
No cigarro e na bebida
Pelas narinas, veias, coração
Contaminado você quer a salvação

Que inspira o amor
De Jesus de Nazaré
Que me aceitou
Mesmo pela pouca fé

Aqui estou perdoado
Dos pecados 
E respirando o ar
Da salvação.

Ele foi crucificado
Machucado, humilhado
Foi execrado, perfurado, machucado

Mas aceitou pelos seus irmãos
Que hoje estão
Na cruz da salvação.

De menino a salvador

Letra: Sp. 09/08/06


Surgiu na terra um guerreiro
Que ninguém acreditou
Surgiu na terra um guerreiro
De menino a salvador

Seu oficio carpinteiro
Ergueu a casa do senhor
Que hoje acolhe o mundo inteiro
Em seus braços de amor

Ele escolheu os seus dicipulos
Para lutarem ao seu lado
Você também pode ser um
É só se entregar a Deus seguindo a Jesus.

Você também é um guerreiro
Seus escudo é Jesus
Você também é um guerreiro
Sua lança é a cruz de Jesus.

Conciência

Letra: Sp. 27/09/06


Já tive muitas experiências na vida
Hoje não tenho nada
Já tive dinheiro, saúde, mulheres
E hoje não tenho nada.

E o que me consola na vida
São as minhas poesias
E a bohemia malvada
Que é feito a mulher...

Se você tem ela quer
Se não tem esta condenado
Se você tem ela quer
Se não tem esta de lado.

Eu já aprendi a lição
Eu dei a volta por cima
Estou numa boa... 
A toa

O homem vale o que tem
Eu já aprendi a lição
Eu dei a volta por cima
Estou vivendo numa boa...
A toa.

Anjos

Letra: Sp. 15/12/06


Eu pedi aos céus
Me socorram por favor
Estou tão sofrido
Não percebo mais o amor
De uma flor
De um olhar
De uma cor
De amar.

Mas de repente
Surgiu um clarão
De uma luz ofuscante
Me pegou pela mão
Me levando adiante
Quando a luz serenou 
Eu pude enxergar 
Um exercito de anjos
Para me ajudar.

Eram tantos anjos
Numa escala de evolução
Que foi me erguendo
Puxado pelas mãos...

Tinha Serafins
Tinha querubins
Tinha tronos
E dominações
Tinha virtudes
Tinha potestades
Tinha principados
E até arcanjos

Por fim percebi
Eram mesmo
Todos anjos.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O ator e o professor

Pensamento: Sp. 16/09/11

O ator é uma representação do mundo
O professor representa o mundo
O ator representa no palco
O professor na sala de aula
Mas o professor não representa
Ele é realístico, enquanto o ator
Representa a realidade.

O ator faz comédia e todos riem
O professor fala sério e riem também
A platéia do teatro respeita o ator
O publico da sala de aula não respeita o professor.
Digo publico pois alunos prestam atenção.
Mas o publico não! esta ali só para se divertir.
E no fim do espetáculo todos batem palmas
E o professor palhaço firme no picadeiro.
O ator tem uma platéia de interessados
Pois pagaram o ingresso,

O professor tem um publico inerte
Pois foram para escola obrigados pelos pais
Ou... não tinham nada melhor pra fazer!
Ah! não to fazendo nada vou pra escola.
É ai que o crime acontece, um linchamento intelectual
Tanto para dar e nada entregue.
A unica diferença entre o professor e o ator
É o espaço físico.

Me dizia um amigo que ser professor
É apresentar um seminário todo dia,
Não entendi no momento mas hoje sei que é verdade.
O ator sente um frio na barriga antes da estréia e sempre antes
De entrar no palco,
O professor sente antes, durante e depois.
O ator trabalha vários textos e peças diferentes
Para publicos diferentes nunca é igual,

O professor trabalha uma grade fixa
Para um publico fixo, entendeu a diferença?
Mas o professor é o melhor dos atores
Porque esconde a frustração, desanimo,
Dor, cansaço no véu da esperança,
Pois sabe que no meio de mil
Um sorriu.

domingo, 11 de setembro de 2011

Reflexo de mim mesmo

Pensamento: Sp, 24/08/11


O ser humano 
Ao mesmo tempo que é insignificante
Se torna grandioso.
Pela misericórdia díviana do pai,
E pelo seu esforço e trabalho.
Como diz as escrituras sagradas...
Deus escolhe os ímpios para confundir
Os sábios.
Me vejo nessa condição;
Tive a sorte de não ser o melhor em nada,
Mas sempre estive entre eles.
As pessoas não intendem
Que alguém tão imperfeito
Conquiste coisas tão grandiosas,
Estreite os laços com Deus
Ele é o único capaz de te dar a vitória.
Pois o ser humano sem Deus é nada.
Mas tendo a humildade de aprender

Com os erros,
E aceitar e pedir a ajuda do alto.
Se ajoelhar verdadeiramente e confiar
Mesmo que não veja nada de encorajador,
Mas com o pensamento positivo
E a fé em Jesus Cristo
Te levam ao mais alto patamar.
Mas tudo tem um propósito
Não é para te exaltar
Mas para ser útil ao próximo,
Mesmo que suas escolhas
Tenham o levado e o guiado
Para onde está agora,
Num momento bom ou ruim
Deus lhe ajuda e lhe sustenta na caminhada.
Me amedronto muitas vezes,
Mas temer não é ser covarde,
É saber o peso e a responsabilidade das lutas
Que travamos diariamente.
Todo dia sinto medo...
E todo dia enfrento...
Esse é o segredo, sinta medo...
Mas não seja covarde;
Deus reserva muitas coisas boas em sua vida
Mas ele quer ver o suor no seu rosto.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Nossa Cama

Letra: Sp. 01/11/06


Sempre que eu te vejo
Rola um desejo
Vem me dar um beijo
É tudo que almejo
Vem pra nossa cama
E diz que me ama
Não quero dinheiro
Não quero fama
Só quero você...
De novo em nossa cama

Que inflama de prazer
Faz enlouquecer
Escorre o suor
Não queremos fazer
Uma vez só.

Que incendeia de paixão
 Não é ilusão
Escorre o suor
Não queremos fazer
Uma vez só.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Delíro ou mistéro

Poesia: Sp. 09/11/06


Sempre quis declarar me
Tudo que sinto
Nunca tive coragem
Isso é um labirinto
Que me leva a você.

Amenos vou tentar
Para ver se consigo
Seguir em paz
Sem olhar para traz.

Só vou sucegar 
Quando encontrar
O portal do seu coração.

Não estou brincando
Nunca falei tão sério
Pode ser delírios pode mistério.

Pode ser um sonho
Se for eu não quero acordar
Só vou despertar
Se for ao teu lado.

A morte pode chegar
Eu não vou me entregar
Ficarei a vagar
Até te encontrar.

Pois a vida só tem significado
Se um dia nela
Tivermos amado.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Princesa exuberante

Poema: Sp. 07/03/06


Em meio a essas estruturas
De concreto e aço
Imaginei-me transportado
Há um tempo antigo
Num castelo glamuroso
De pessoas muito nobres,
E você a princesa exuberante
Eu o farrapo prisioneiro
No calabouço mais profundo,
Suas vestes ostentavam sua beleza
Como hoje tuas roupas
Me deleitam o seu corpo
Olhos de cristais reluzentes
São os mesmos após tantos séculos...
Eu e minha lira
Trovando uma cantiga 
Que não era de amigo
Você em sua sacada
Com as tranças ao chão
Eu um Romeu perdido
Com flores nas mãos.
Historias diferentes
Mas de um mesmo contexto
O platonismo é a flecha do poeta
Para provar que o impossível
É logo ali!
Te vejo aqui nesses corredores
Mas prefiro a distancia,
Somente um louco
Chegaria a menos de um metro de você,
Pois tu és a medusa real
Não quero ser enfeitiçado
Virar uma estátua de pedra
E morrer apaixonado,
Por isso te mantenho
Nos meus sonhos
Mas com os pés na realidade.

Já era

Letra: Sp. 18/05/06


Sempre te quis desde o dia
Em que te vi
Nunca mais te esqueci
Vem pra mim...
Já tentei mais de uma vez
E você me recusou
Não sei até quando
Vou suportar o seu desdém
Te quero tanto meu bem

Mas preste atenção
Minha paixão pode acabar
Você vai se arrepender
Vai vir me procurar
E eu vou lhe dizer
Já era.

Ardilosa

Poema: Sp. 18/05/06


Rosto de anjo
Ardilosa feito o cão
Por traz da pele branda
Uma cobra peçonhenta

É como um felino
Só na ponta dos pés
Se virar as costas
Decretou o seu fim

Olhos de lince
Garras de pantera
Faz o tipo indefeso
Mas nas sombras

Mostra os dentes caninos
Que penetram fundo
Na alma,

Nunca mais subestimo ninguém
Pois do nada
Pode surgir
O seu maior inimigo.

Chagas

Letra: Sp. 24/05/06


Vou trilhando meu caminho
Nessa estrada de espinhos
Meus pés feridos
Olhos sofridos
De tanto chorar... de tanto sofrer...

Mas eu não paro de caminhar
Um dia eu saro essa chagas
Do meu coração... da minh'alma

Mas eu não paro de caminhar
Um dia eu saro essa dor
Do meu coração... do espírito.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Vero semelhança

Letra: Sp. 08/02/06


Tudo que você sofreu
Tudo que você chorou
É vero semelhança do amor
Que é bom mais dói
Que é bom mais corrói
Sei que o amor constrói
Sei que o amor também destrói
Mas se não fosse assim 
Cade o mérito no fim.

Você vai sorrir
Você vai chorar
Vai viver feliz 
E muito infeliz

Você vai ao céu
Você vai ao chão
Vai prova o mel
E também o féu  

Mas pra ser amor
Tem que ser assim.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Cúriassica

Letra: Sp. 17/11/06


Eu conheci um cara
Um sujeito muito estranho
Ainda não toma banho
Só tem um blaizer preto
Que nunca viu sabão
Dorme nas calçadas
Tremendo cachaceiro
Nunca fez uma
Nunca tem dinheiro
Dizem que é casado
Com um puta mulherão
Será que é verdade...

Ele toma no copo
E ela toma no cú...riassica
Que é o bar da esquina

Ele toma no copo 
E ela toma no cú...riassica
Que é o bar da esquina.

terça-feira, 31 de maio de 2011

Cálice

Poema: Sp. 01/09/06


Quero penetrar seu intimo
E mergulhar em tua sopa
O teu seio em minha boca
Quero explorar tuas grutas
Cavernas, matas e montanhas

Desse lindo templo nu
E tu beberas do leite
Diretamente do cálice do amor
Que banharás o seu corpo
De milhões de vivas possibilidades.

Gira sois

Poema: Sp. 13/09/06


O seu corpo exala
Um perfume magnífico 
Nem lírios do campo
Nem as roseiras frondosas
Ou os liláseiros 
Ou até mesmo as azaléias
Desfilam a tua beleza
Que é tão peculiar
Quanto o sol que ilumina
Os gira sois,

Em meio a toda
Essa natureza exuberante
Você é a mais feminina
Das flores
Que enfeitam o jardim
Dos meus sentimentos
Mais íntimos.

Meus amores

Poema: Sp. 19/09/06


Amei Roberta 
Como a minha própria mãe
Amei Sheila
Como se fosse uma filha

Ainda as amo
Como se uma fosse 
Minha namorada
E a outra fosse
Minha amante

Mas ambas serão
Minhas esposas
E mãe dos meus filhos

Por que as duas 
São a mesma...
Sheila Roberta!!!
Que nos amamos
Incondicional mente
Em muitas vidas
Inclusive essa!

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Desentrenhada

Poema: Sp. 06/06/06


Sou um poeta modernista
Com rastros barrocos
Minha poesia é desenfreada
O que importa é o momento
O agora, o fato, o presente

Não quero estruturar nada!
Metrificar nada!
Estetizar nada!
Só quero expressar
O momento, o acontecimento
E pronto!

Amora

Poema: Sp. 23/11/06


Quero teu apoio
Pois sou o joio
E você é o trigo
Fica comigo,

Sou o oposto do inimigo
Estou sempre contigo
Você me resgata todo dia
De volta ao seu abrigo.

Sem você vagueio, mendigo
Pois sou o joio
E você é o trigo,

Te espero amanha no domingo
Para relembrar nosso amor antigo
E tudo que temos vivido até agora
Não vá embora,

Nosso amor tem aurora
É mais belo que a flora
Já é chegada a hora
Para juntos pagarmos a mora.

No leito

Poesia: Sp. 02/11/06


Estou fudido, mal pago, aleijado
Em termos capado
Sem poder gozar a vida
Que situação negra, oprimida
Não sei se pegarei o diploma
Pois as mensalidades
Alcançaram bruta soma
Estou em coma
Não estou ajudando em casa

Meu respeito a cada dia vaza
Não consigo pensar direito
Quero me levantar desse leito
E continuar a escalada
Tenho nível técnico e universitario
Mas não consigo encher o armário!
Eu não me abalo facilmente
Seguirei a luz reluzente
Ainda olharei para traz sorrindo
A vida não para, continuarei seguindo.

Armagedon

poesia: Sp. 01/11/06


Menino, garoto, pequeno prodígio
Homem, adulto, grande oficio
A escrita é a criptonita do sistema
Menino não tema!
Pois sua poesia não é efémera...
Continuara a ecoar na eternidade
Aqui nesse mundo ou noutra cidade
Você já se libertou da senzala
Sua poesia incomoda.
Não da pra te ler e não crer
Que existe uma luz
Você mano é instrumento de JESUS!
Sou orgulhoso do Jaqueline,
Do meu povo
Onde tem a vermes também a diamantes
Hidson exemplo de:
Dom, som, expressão e tom
Você é o próprio armagedon.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Vassalo

Poema: Sp. 25/04/06


Ah! que martírio inescrupuloso
Me assola o peito
Quanto mais me renuncio
Mais almejo a tua afeição
Que nem te olhasse
Não me adianta o disfarce
Sei que me vê através da cortina
E contem  o querer

Ah! não quero esse gosta vassalo
De querer te a distância
Já foi o tempo platónico
Te quero bem perto
Tudo é tão incerto
Apesar da tua descrição
Percebo seu olhar despretensioso
Mas revelador do intimo

Ah! jaz a consumação
Vejo esse elo de ligação inspirador
De corações sobrepostos
Da musa e do poeta.

Máritirio da vila

Paródia de Martinho da Vila: Mulheres.


Já tive mulheres
De fazer reverter
Opiniões formadas
Já tive mulheres
De subjugar o diabo
Já tive mulheres
De fazer enxergar 
O cego desejoso
Já tive mulheres
Do inferno ao céu
Já tive mulheres
Do paraíso ao umbral
Já tive mulheres

Exuberantes mas definhadas
Já tive mulheres
Despercebidas a olho nu
Mas resplandescentes 
A sensibilidade
Já tive mulheres
Que aceitei
Já tive mulheres
Que me suportaram
Tenho a mulher
Que amo
Mas não tenho 
O amor 
Que ela merece.

Perdição

Poema: 07/08/06


Tu és a inspiração do pecado
O que desvia o certo pro errado
És o banquete do felizardo
A água que sacia a sede
O tempero que completa o negro
És índia por herança 
Cabelos negros de pixe
Macio como pelo do gato siamês 

Curvas que levam
Ao abismos mais obscuro
Não me atrevo em conhece la melhor
Pois o pouco que a conheço
Já me cega o suficiente 
Para seguir o caminho da perdição.

domingo, 22 de maio de 2011

coração solitário

Poesia: Sp. 23/05/11

Te encontrei pela imagem
Gostei do que vi!
Nem sei o seu nome
Mas ja me apaixonei
Gosto de sol e de mar
De mulher e de cor.
Você é a típica mulher brasileira
Muito seio muita bunda
Muita complicação e emoção.
Nos falamos muito pouco
Mas já percebi o quão nobre
Tu és!

Obrigado pelo carinho e pela atenção
Se perdi meu tempo
Pensando em ti 
É porque você é importante
Não sei para os outros
Mas é pra mim
Coração solitário
Mas porque quer!
Existe uma eternidade
A sua espera.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Central dos violeiros

Poema: 08/03/06


As ideias vem a tona
No galope da sanfona
Que cheguei aos corações
Essa viola que entoa
Algumas notas da lavoura
Pra colher uma canção
Que encante as pessoas
Do meu Taboão da serra
Do meu coração

Reunidos numa praça
Numa tenda ou numa casa
Gentis nobres cavaleiros sem competição
Em punhos armas que atiram
Sete notas, sete cordas
O seu violão
É um exercito de guerreiros
Velhos novos violeiros
Da nossa canção, canta Taboão

A central dos violeiros
Vem regar os teus canteiros
Pra quem fica ou passageiros
Dessa emoção, canta Taboão
Nessa roda de alegria
Canta pai e canta filha
E também os irmãos
Filhos desse chão, canta Taboão.

Hexa

Poesia: dedicada a copa de 2006, mas já veio a de 2010 e nada! E agora em 2014 em casa diante da torcida o hexa é nosso.


Jás! dois mil e seis
Época de capitães e Reis
Países e juízes
De uma batalha campal
Na terra de Hitler
Uma guerra de paz
É a copa do mundo,

Onde o carrasco campeão
Vai brigar por mais essa
Quem fala é um poeta
Brasileiro e penta
A espera do hexa
É a copa do mundo,

Que foi de Pelé e Garrincha
Hoje é de ronaldinho gaúcho
E Ronaldo fenomeno
Para glória da amare linha
É a copa do mundo,

São noventa minutos
Em que o mundo para
Ninguém trabalha
Ninguém raciocina
É só a bola feito o sol ilumina
Enfim! é a copa do mundo.




Sorte

Poema: Sp. 01/08/06


Ela chegou na minha vida
Sem explicação
Revirando meu mundo
Minhas opiniões
Me livrando do poço
Do abismo profundo
Me curando a cegueira
Aventuras banais

Minhas promiscuidade
Ficou para traz
Encontrei a paixão
Dentro da amizade
E hoje poço dizer
Com convicção
Que tenho um amor
De verdade.

Canudos

Poesia dedicada a todos que morreram pela republica. Sp: 27/04/06


Na catinga surge um exercito
De concelheiristas baianos
Ao comando de Antonio
Contra o império do descaso
Sertanejos de facão
E de foices nas mãos
Contra canhões desumanos
Foi uma, foi duas, foi trêz
E de quatro voltou o freguêz.

Antonio conselheiro proclamou
Euclides da cunha delatou
Os sertões são nossos!
Dom Pedro segundo foi espirrado
Como escarro,
E os bois pucham os carros da morte
Antonio conselheiro
Não morreu por dinheiro
Morreu por dignidade
Não se sabe se foi
Por bomba ou caganeira
Canseira ou fome,
Mas se sabe que no sertão baiano
Morreu um grande homem.



Vindas

Poema: Sp. 11/04/06


As memórias são eternas
E os amores infinitos
De terra em terra
De chão em chão
As vidas nos esculpem
As existências nos ensinam
Nada será passageiro
Mas tudo será efémero.

Efemiridade

Poema: Sp. 09/02/06


Jaz no jazigo o seu sacrilégio
E o santo padre papudo
Que tomado pelas trevas
Violou a inocência pequena
Que a grande arquitetura vaticana
Esconde na cortina intolerante
Há! que fosse somente efemeridade

A maldade do padre papudo
Que fez da batina escudo
De um abismo imundo
E o terço antes santo
Se tornara corda de enforcamento
Cuidado padre papudo.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Mulher

Poema: Sp. 14/03/06


Cada mulher
Tem seu jeito e seu leito
Cada mulher
Tem seu rosto e seu gosto
Cada mulher tem seu cheiro
E seu tempero
Cada mulher
Tem sua dor e seu amor
Cada mulher
Tem sua energia e sua magia
Cada mulher
Tem o seu pé e sua fé
Cada mulher
Tem sua mão e sua mãe
Cada mulher
Tem sua íngua e sua míngua
Cada mulher
Tem seu valor e seu pudor
Cada mulher
Tem seu sexo e seu nexo
Cada mulher
Tem sua meiguice e sua burrice
Cada mulher
Tem sua vida e sua lida
Cada mulher
Tem seu hímem e seu homem
E cada mulher
É única em sua túnica.

Madame

Poesia: Sp. 16/02/06


Se não foi madame
Foi primeira dama
Se não foi rainha
Foi Jane
Nessa selva de arame
No podium desse andaime
Discursou verdades infames
Que vomitou vermelho sangue
Dispersando o incha me
Nas dobradoras origami
Que se dane! mame.
Que o féu derrame
Na premiação de cannes
Holywood não se engane
Com aquela velha Jane
Que hoje virou índia
Na lama desse mangue
E que amanhã será história
Na cabeça do pensante.

Certeza

Poesia: Sp. 11/01/06


Minhas preferências me realizam
Minhas escolhas me completam
Mas sempre são lúdicas
Para quem vê de fora
Horas bolas!
Quem tem que acreditar sou eu...
Quem tem que confiar sou eu...
Mesmo diante da negativa alheia!

Porque me importo tanto?
Não sei se agora ou daqui a mil anos
Ainda vou viver do prazer
De fazer aquilo que gosto;
Escrever letras musicais, poesias
E pensamentos.
Mas uma coisa é certa!
Remunerado ou não
Minha pena continuara
A deslizar nos papiros do amor
E nos pergaminhos da vida!

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Consenso

Letra:08/03/05




Sinto tristeza em dizer
Que faço parte do universo
Que eu pertenço a este chão
Cadê o meu bom censo
Não entro num consenso espiritual
E eu fico flutuando entre esferas,
Entre planos
Demoro em seguir a direção.
Eu adoro as coisas fúteis
Os excessos me consomem
Mas enxergo a imensidão
Eu prefiro o indeciso
Nada muito definido

Quero a liberdade de opinião
Se eu quiser ficar eu fico
Se eu quiser seguir eu sigo
Com você ou com a solidão
É de paz que eu preciso
Quero estar de bem comigo
Não mentir para o meu coração.

Sei que a verdade as vezes dói
Mas quero seguir o meu destino
Perdoe-ai minhas decisões
E assim eu vou seguindo
Chegarei ao inicio
Como sempre foi no fim.